Fica, vai ter boldo!

•Dezembro 27, 2011 • Deixe um Comentário

Faz tempo que não escrevo nada por aqui. Não sabia nem se voltaria a escrever algo, mas uma vontade subita me fez ouvir The Veronicas e postar algo nesse combalido, mas nunca extinto, portal de pensamentos valiosos.

Realmente não consigo pensar em nada para escrever. Poderia comentar sobre minha descrença atual na humanidade, nas coisas bizarras que eu vejo por esse mundo ou no meu desprezo pela instituição militar, mas nada disso agradaria.

Não tenho nenhuma passagem interessante para falar também, pouco vou a padaria ultimamente, mas nem lá as histórias acontecem, quem sabe eu deva começar a ir em outros comércios, como mercearias, casas de agricultores ou vendedores de pinho-sol.

Isso não é Pirituba City! 

A minha dica para seu começo de preparação das festividades de ano novo é: Misture sua Vodka barata, comprada no posto (pensa que eu não se que você fica ouvindo Michel Teló no posto enquanto dança), com uma garrafa inteira de coala (Coala) (Coala em parenteses é legal), e depois envie para este blog os acontecimentos após sua experiência.

Talvez eu escreva algo antes do ano novo, talvez eu não escreva nunca mais algo, mas… Abraços para o Baby boy e para o J.ão Lar.nja (não posso identificar o rapaz, por motivos de “Bullyng” feitos pelo Kelvin)… Brincadeira, abraços apenas para o Baby Boy, onde quer que ele esteja!

Meu cachorro não é um Pug

•Abril 14, 2011 • Deixe um Comentário

Mas poderia ser. E também poderia cantar “Who let the dogs out” como o cachorro Frank no MIB – Homens de Preto II.

O Bob está muito carente. Arranjou namorada, tem comida todo dia e ainda passeia pelas manhãs – sua mordomia é semigual. Entretanto, devido aos últimos acontecimentos envolvendo carrapatos e feridas, não sabe qual rumo escolher da vida. Foi no Pet e voltou igual a um Pug. Um Pug? Sim.

Acho que talvez isso que esteja acontecendo com ele. Vida de Pug envolve muita ação. Continua..

(em breve alguma foto)

#vidadocão

@wagnerjuniior

Audaciosamente indo onde nenhum homem jamais esteve

•Abril 13, 2011 • Deixe um Comentário

Com n perguntas eu começo uma nova jornada. E não é nada parecido com Jornada das Estrelas, exceto pela frase utilizada na abertura da série de 1966, que é  intencionalmente o título deste post. Eu tô falando é de pesquisa!

Nunca quis ser professor, comediante e muito menos um intelectual que discute sobre opiniões alheias. Também não gosto de bater um papo sobre o desempenho dos atletas no futebol, como os comentaristas de TV e seus fãs, ou escutar da boca pra fora qual é a melhor alternativa para desenvolver socio e economicamente a região, papel atribuído aos nossos políticos incrédulos.

De repente surgiu uma oportunidade. Agarrei-a. Escrever sobre a Tecnologia da Informação nos hospitais em um projeto pra lá de interessante, com direito a publicação de contribuição no projeto. Ótimo (pra quem quer um mestrado).

Decidi iniciar um novo ritmo aqui no blog. Nada de peculiar. Chega de histórias por um tempo.

Irei falar de estórias. Cotidiano, sabe?

Tava caminhando esses dias por uns cantos e decidi aumentar o ritmo. Comecei a correr… Já não sabia em que direção minhas veias e artérias circulavam e meu coração não parava de bombear. Eis que surge a pedra. Não aquela droga de poesia de quem cai e levanta da pedra e sim, um caminhão de pedras. Um louco que estava na pista somente olhou aquilo e disse:

– Êta, um caminhão de “predas”.

Definitivamente não..

@wagnerjuniior

~ Minha vida é um Sitcom?

•Abril 3, 2011 • 1 Comentário

Minha mãe não trabalha nas casas bahia, meu pai não tem dois empregos ou é um guerreiro celta com as mais altas condecorações da aldeia. Eu não sou um nerd, fã de Star Wars e de videogames, com tendências auto-destrutivas e vicio em cafeina, tá, eu sou, mas minha vida não é interessante ao ponto de criarem uma Sitcom.

Essa não é a primeira, provavelmente nem a ultima, que eu falo essa frase que não quer dizer nada. Não sei quem foi o idiota que inventou essa porra de não é a primeira nem a ultima. Foda-se a experiência, foda-se tudo isso e pare de enrolar. Pegue suas botas marrons, seu cavalo e vamos tomar absinto no oeste do Canadá. Nem sei o que tem no Oeste do Canadá, mas duvido que seja pior do que o Noroeste de Bangladesh. Me perdi, sei lá que porra isso tem a ver.

Então, mais um post sem nada. Essa é a graça, o blog é meu e eu posto a merda que eu quiser. Foda-se. Tá, brincadeira. O blog é meu e do Wagner. E nós escrevemos a merda que quisermos.

@jeanmf

~ Muito mais do que tudo isso.

•Março 29, 2011 • Deixe um Comentário

Acordei hoje com a pior notícia dos ultimos tempos. Mas antes de falar sobre ela, quero fazer uma pequena pausa. Sei que você leitor, se é que há algum, não está nem ai pra tudo isso, só que esse blog é meu e eu desabafo nele na hora que eu quiser. Não poderia deixar de passar esse momento, a dor que eu sinto é tão grande que não conseguirei expressar com palavras, nem aqui nem no New York Times.

Meu cachorro morreu. Se pra você isso não é importante, pode fechar agora o site, pois é só isso que eu postarei hoje. Lembro do dia em que eu o vi pela primeira vez, não sabia se queria um cachorro ou não, não sabia nem o que eu queria pra comer no outro dia, mas seu agito e sei lá o que mais fizeram que eu implorasse pra minha mãe deixá-lo conosco.

Pensei em fazer um post imenso sobre tudo isso, porém não tenho forças para comentar tanto sobre isso. Queria ter visto, queria estar com ele nos ultimos momentos, ao mesmo tempo deixo na lembrança os bons momentos que vivi com ele. Não consigo postar mais nada, desculpe se alguém leu isso achando que seria engraçado ou algo do tipo…

Eu nunca esquecerei camaradinha, de brincar contigo e de tudo que passamos juntos. EU TE AMO LUCK

Nada

•Fevereiro 18, 2011 • 1 Comentário

Intrínseco. Desgastante. Sem inspiração. Não mais o que escrever, oras. Estou confuso, preocupado e carregado. Minha cabeça vai explodir uma hora ou outra, esperem..

Vamos tentar um texto:

“Com seus pequenos olhos observando o horizonte, eis que encontra uma pequena pedra preciosa, capaz de mover qualquer aspecto de sua mente. Ela o destrói e ele a ama. Ela o seduz e ele não quer esperar nenhum minuto a mais. Tentaria quantas vezes fossem necessárias? Aonde ele quer chegar?

.. Mentiras absurdas, idéias mirabolantes , astúcia..

Um brinde ao tempo por satisfazer suas necessidades e por construir o que não existia!”

 

– Não adianta, não entendo de escrever romances; só do meu.

 

@wagnerjuniior

A eterna lembrança

•Fevereiro 14, 2011 • Deixe um Comentário

Não vejo o porque de ficar tanto tempo sem escrever por aqui. Uma pausa pra vida talvez?  Acho que deixei ela passar na frente e me guiar por diversos roteiros imprevisíveis nessas férias, e foi meio a meio. Sabe, esse blog já virou muito pessoal então foda-se, eu falo o que quiser da minha vida aqui.

“Dai me um abraço, um sorriso. A cidade já esta ficando pequena”.

Venha para essa cidade jovem violeiro, e traga as tias e os tios, os avós, e o seu cachorro. Não esqueça do porta retrato em que há uma velha te abraçando,  o quanto já tivera um grande orgulho por ti em tempos passados. Essa, que mesmo longe, encarou a vida de maneira firme, de brandura incomparável. Tenha sempre em mente o que vai fazer, arme o terreno. Não deixe as coisas acontecer como se estivesse em um campo aberto, sendo perseguido por uma bota gigante que tenta te esmagar. Este, é o velho-oeste, tão velho a ponto de não saber como as coisas se passam pelo horizonte. Um lugar onde as pessoas te encaram, os bares estão sempre aberto.. ah, os bares!

De um lado a espora e sua arma, do outro, o vento junto com seu inimigo e nada mais. Simples assim.

 

@wagnerjuniior